13/03/11

with or without

já não escrevo à tanto tempo porque a alegria de escrever foi contigo como tudo aquilo que me fazia feliz. adorava escrever, mas é angustiante que tudo o que escrevo acaba por ser tudo o que me faz infeliz e cansa-me que seja sempre do mesmo. é que apesar de todos os teus defeitos continuas a ser a minha inspiração, infelizmente mais para as coisas más, mas é sempre para ti que escrevo, parece que esqueço tudo o que se passa na minha vida. 
não sou mais o mesmo, muito menos agora depois de tudo o que me tornei para ti, apesar do desacordo, de saber que não sou assim, magoa, ainda mais por teres sido tu a dizê-lo. sabes tudo de mim, qualquer segredo meu, qualquer passo que dei ao longo da minha vida e principalmente mostrei-te, aliás, eu dei-te todo o meu amor e mesmo assim não foi o suficiente. sinceramente eu sei que mesmo com tudo o que passei contigo continuo de braços abertos à espera que venhas ao meu alcance, espero sempre por ti sabes porquê? porque agora acredito no amor eterno. antes para mim nada disso existia, não era algo que eu acha-se que me faria falta, aliás, julguei que sobreviveria apenas com alguns sorrisos, respirações, abraços, um olá ou um adeus. é verdade, agora é assim que eu vivo, continuo a sobreviver apenas com estas pequenas coisas que significam muito, mas eu precisava que fosses tu o meu sorriso, a minha respiração, que me desses todos os abraços que anseio e preciso e até mesmo um beijo de comprimento e outro de despedida.
eu não sei o que dói mais. saber que não estás aqui ou continuar a preocupar-me com o facto de não te ter aqui.
tens noção do tempo que já passou desde então? não sei se me deva orgulhar ou deprimir mais ainda por estar a aguentar tanto e ter a esperança de que um dia vou voltar a estar contigo, a sorrir para ti e não apenas estar no computador a ver-te a entrar e sair do messenger sem ter a coragem de te dizer alguma coisa. pareço uma triste, mas a realidade é que foste a única coisa que eu tive e perdi sem ter sido por opção, apenas porque teve de ser e a única coisa que queria era parar o tempo e ter percebido tudo mais cedo e nunca ter deixado acabar e só perceber agora que o verdadeiro sentimento existiu e teve de ser contigo. porquê? lembras-te como tudo mudou, antes podíamos passar horas sem falar, estarmos juntos, bem agarradinhos e de olhos sempre postos em nós e assim foi durante muito tempo, de repente tudo mudou, passávamos horas sem falar, completamente afastados mas os olhares sempre presentes um no outro, por vezes era esperança, outras sofrimento e nos momentos em que estávamos sozinhos, era a vontade que nós tínhamos de estar juntos mas não poder, até podíamos passar horas sem dormir mas era a única forma de dizermos um ao outro com os simples olhares "ainda penso em ti" ou mil e uma coisas que nunca foram ditas mas existiam. 
nunca fui capaz de me ter despedido e talvez me arrependa, não sei como foi quando foste embora, só sei que aquilo que ficou foi o tu perguntares a alguém "onde está ela?" terem-te dito e tu mesmo assim não foste ter comigo. eu nunca soube o motivo, nunca, talvez porque achavas que por não ter aparecido não te quisesse ver ... eu não sei, apenas mexe comigo, tudo mexe comigo, tudo o que me faz lembrar-te a ti ou apenas o teu nome e eu não estou a aguentar.
por tudo isto sinto que te odeio, ou então que te amo, até se calhar porque odeio o facto de te amar e preocupar-me tanto com isto. estou a ficar bipolar, mas apesar de tantas dúvidas, tantas coisas a passarem-me pela cabeça eu não sei onde estás, não sei e continuo a desesperar na expectativa de que te vou recuperar, mas na realidade, já acreditei mais e a cada dia a esperança vai desaparecendo e a única coisa que fica sou eu e talvez tu, mas nunca mais o nosso nós, nunca mais. 

Sem comentários:

Enviar um comentário